30 de abr de 2008

Vasos Para Deus

Tira da prata as escórias, e sairá vaso para o fundidor (Provérbios 25:4).

Para sair vaso para o fundidor deve-se tirar as escórias da prata. Antes essa prata estava impregnada no meio da sujeira. Semelhantemente, nós quando estávamos vivendo no pecado vivíamos na sujeira e o Senhor nos tirou desse meio. Mas como a prata, apesar de termos sido tirados da vida pecaminosa, há ainda resquícios de escórias (impurezas) que devem ser eliminadas para que sejamos vasos nas mãos de Deus. Algumas coisas em nós que não agradam ao Senhor (sentimentos, emoções, pensamentos, atos, etc) devem ser eliminadas e tratadas como escórias em nossa vida.
O apóstolo Paulo escreve: E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo (Filipenses 3:8).
A prata é purificada através do processo de passagem pelo crisol que, segundo o dicionário Michaelis, é uma caldeira onde se derrete o metal para fundição da linha; o mesmo que cadinho (vaso de argila refratária, porcelana, grafita, ferro ou platina, geralmente em forma de tronco de cone, e próprio para nele se fundirem metais e outros minerais).
É certo, biblicamente falando, que o processo de purificação da prata exige a passagem pelo fogo ou fornalha (Sl 12:6; Pv 17:3; Is 48:10; Ml 3:3). Em Isaías 48:10b diz : provei-te na fornalha da aflição. Apesar de num Evangelho tendencioso de resultados, como se vê nos dias de hoje, não abordar as situações de aflição e dificuldades que envolve o crescimento de uma pessoa, elas existem e, muitas vezes, se faz necessário, afinal o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho (Hb 12:6). Jesus disse: no mundo tereis aflições (Jo 16:33). Os apóstolos Paulo e Pedro viam as dificuldades como forma de crescimento.
Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá (1pe 5:8-10).
O Apóstolo Pedro relata que, após padecer, o próprio Jesus nos aperfeiçoará. Seremos confirmados como uma boa prata para uso do Senhor.
E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado (Romanos 5:3-5).
Paulo sentia prazer nas tribulações, não porque ele era louco, mas porque via, nessas ocasiões, a oportunidade de crescimento espiritual. No momento em que o cristão passa por momentos difíceis, ele ora mais, busca mais a presença de Deus e aprende a esperar. Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa (Hebreus 10:36). Ao aprender a esperar com paciência e alcançar as promessas, se aprende que o mesmo Deus que livrou de uma dificuldade pode livrar de outras. Disse mais Davi: O SENHOR me livrou das garras do leão, e das do urso; ele me livrará da mão deste filisteu. Então disse Saul a Davi: Vai, e o SENHOR seja contigo (I Samuel 17:37). Isso chama-se experiência e, pelo visto, Davi tinha de sobra.
Que possamos ser vasos experientes nas mãos do Senhor.

SHARE THIS

Author:

Etiam at libero iaculis, mollis justo non, blandit augue. Vestibulum sit amet sodales est, a lacinia ex. Suspendisse vel enim sagittis, volutpat sem eget, condimentum sem.