5 de dez de 2012

Edificando Vidas Com Palavras


A Palavra de Deus nos revela que aquilo que falamos produz vida ou morte (Pv 18.21), também pode trazer edificação ou destruição. Portanto devemos falar coisas que edificam e promovem vida (Ef 4.29). O apóstolo Paulo acreditava ser isso tão importante que pediu ao povo de Colossos que orassem por ele "para que manifeste,  como me convém falar" (Cl 3:19) e acrescenta "a vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um."
Então vemos que o processo de edificação espiritual passa, também, pelas mãos (e língua) do cristão. A essa altura você pode estar me questionando: mas não é Deus que edifica, está escrito no Salmo 127? Mas neste mesmo Salmo também falam daqueles que trabalham na edificação (pode ser em vão ou não, mas trabalham na edificação). Paulo escreve em 1 Coríntios 3.9: "Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus. "

Na construção de uma grande estrutura, existe o Engenheiro Responsável que tem acesso a todo projeto da edificação. Apesar de não assentar um tijolo sequer,  ele é o responsável pela edificação, por que conhece o projeto completo e supervisona a construção. Da mesma forma, Deus tem o projeto completo em Suas mãos para a vida de cada pessoa e, também, para todo o universo.
Nós não sabemos, assim como o pedreiro não sabe, do projeto em sua totalidade. Para isso devemos ouvir a voz d'Aquele que tem os projetos em Suas mãos para que não seja vão o nosso trabalho. Afinal, como escreveu Paulo: somos cooperadores de Deus.
Como então podemos cooperar com Ele nesse processo? Analisemos 1Co 10:23: Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.

Partindo de duas premissas de Paulo, podemos concluir que as coisas que edificam são aquelas que convém (a Deus), ou seja, as que se alinham e cooperam com o projeto (plano original de Deus). 
Ao cooperar com o Senhor, antes de seguirmos adiante, devemos nos perguntar:  é conveniente? se alinha com os planos de Deus? Essa é a responsabilidade do cristão. Vamos analisar alguns versículos bíblicos e ver o que convém ou não, coopera ou não com os propósitos de Deus:


1) Não convém amaldiçoar

Mas  nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal. Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim. (Tiago 3:8-10)
O texto é autoexplicativo. Ao amaldiçoar alguém não colaboramos nem um pouco com a obra que Deus que fazer. Ele nos ensina em Nm 6:22-26 a abençoar o povo e declarou o seguinte: Assim, porão o meu nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei. (Nm 6:27, ARC)

2) Não convém contender
Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor. E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas. E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; (2Tm 2:22-24)
Fugir de questões loucas e evitar contendas. Se elas acontecerem não devemos entrar nelas. Ao passo que não é conveniente contender, ser manso e aptos para ensinar é totalmente conveniente.

SHARE THIS

Author:

Etiam at libero iaculis, mollis justo non, blandit augue. Vestibulum sit amet sodales est, a lacinia ex. Suspendisse vel enim sagittis, volutpat sem eget, condimentum sem.

0 comentários:

Deixe seu comentário.